A era das sequências acabou! Mentira, não acabou. Mas tem data marcada para chegar ao fim, pelo menos na Pixar. Os estúdios, vangloriados por sua originalidade, têm uma agenda lotada de continuações, que vão de Carros 3 a Toy Story 4, passando pelo recém-lançado Procurando Dory, e a única exceção é Coco, animação baseada no feriado mexicano do Dia dos Mortos. É claro, assistir a uma sequência da Pixar sempre acaba provocando aquela bem-vinda nostalgia, mas será que acabam-se as novas ideias? O presidente da Pixar Jim Morris explicou a estratégia em uma entrevista concedida à EW, e disse que as sequências chegam ao fim em 2019, e após isso o estúdio vai investir exclusivamente em originais.

“Nosso plano tem sido fazer uma original todo ano e uma sequência no outro, se a ideia fosse para frente. Se incluirmos os próximos filmes a serem lançados, fica assim: sete sequências entre 21 originais, desde quando fomos comprados pela Disney [em 2006]. Acabou sendo o mesmo portfolio, mas não na ordem que pensamos. Muito disso tem a ver com quando Andrew [Stanton, diretor de Procurando Dory e roteirista de Toy Story 4] teve a ideia de uma sequência, e Brad [Bird, diretor e roteirista de Os Incríveis 2] teve a ideia de uma sequência… às vezes é como acontece. ”

Morris finaliza explicando que após os lançamentos de Toy Story 4 e Os Incríveis 2, todos os próximos projetos da Pixar são histórias originais. “Os outros dois filmes, atualmente listados na agenda da Disney para março e junho de 2020, respectivamente, são originais, independentes um do outro.

Isso significa que os entusiastas precisarão esperar pelo menos mais uma década para notícias de sequências de velhos favoritos como WALL-E, Ratatouille ou Divertida Mente. Jim Morris adiantou, inclusive, que Pete Docter, diretor da badalada história de Riley, já tem uma ideia original para o seu próximo filme. Então, é esperar para ver.