Gostamos de muitas coisas na sexta temporada de Game of Thrones, mas nem tudo pode ser perfeito. Há aquelas núcleos que são excelentes e empolgantes, mas outros, infelizmente, não agradam tanto. Seja por terem um desenvolvimento mais lento, personagens que não conseguem cativar tanto quanto o necessário, ou simplesmente por serem aquele momento do episódio que você aproveita para dar uma olhadinha no celular. 05. Davos e Melisandre

A história de Davos e Melisandre se transformou em uma verdadeira bagunça na sexta temporada. Para que os dois pudessem ‘trabalhar juntos’ em prol de Jon Snow, Davos (que até então desconfiava de cada passo da Sacerdotisa Vermelha) convenientemente se esqueceu de perguntar a Melisandre sobre Stannis e Shireen durante 90% da temporada, e só se recordou quando Jon já estava devidamente instalado em Winterfell, com Ramsay morto, Sansa protegida e nenhuma ameaça próxima. É muito difícil de acreditar que ele não teria perguntado sobre a princesa assim que avistasse Melisandre.

04. Tyrion em Meeren

Tyrion (Peter Dinklage) é sem sombra de dúvidas um dos personagens favoritos do público. Excelente ‘jogador’, dono de frases memoráveis, inteligente diplomata, rejeitado pelo pai, odiado pela irmã, ridicularizado pela população, Tyrion Lannister já trouxe para Game of Thrones alguns momentos inesquecíveis durante as temporadas anteriores, seja o momento em que mata Tywin ou seus excelentes diálogos. Infelizmente, nesta temporada ele ficou completamente mal aproveitado em Meeren – uma cidade que, aliás, ficou ainda mais chata sem Daenerys (do que já era normalmente). Ao invés de entregar momentos lendários, Tyrion ficou restrito a piadas sem graça e constrangedoras. Completamente esquecível.

03. Cersei, Pardal, Margaery, Tommen e Porto Real

Tudo bem, Porto Real rendeu um dos melhores momentos da temporada e de toda a série com a incrivelmente bem executada sequência da explosão do Septo no episódio final, mas a história também rendeu alguns dos momentos mais chatos ao longo dos 9 episódios anteriores. A confusão política que cercou Porto Real durante a temporada fez com que fosse muito difícil torcer para qualquer um ali. De Cersei (Lena Headey) ao Alto Pardal, todos foram simplesmente horríveis. E houve também os infindáveis monólogos do Alto Pardal. Apesar de Jonathan Pryce ser um excelente ator, não era necessário entregar a ele um monólogo desinteressante em todas as suas aparições.

Felizmente, este arco da história de Game of Thrones teve um encerramento que deixou todos muito ansiosos para verem o que acontece na sequência.

02. Arya, Braavos e a Criança Abandonada

Desde o início de Game of Thrones, Arya (Maisie Williams) só cresce cada vez mais no posto de personagem favorita. Quem não torce para que ela complete a sua lista? Vai, Time Arya, nós estamos com você! De verdade. Mas mesmo assim, a história dela neste ano foi extremamente enfadonha, e entre diálogos pouco animadores que majoritariamente apenas repetiam “Uma garota tem um nome/uma garota não tem um nome”, foi ficando cada vez mais difícil se importar de verdade.

A chegada da trupe teatral e a autorreferência que ela impôs foi o momento em que a história de Braavos ganhou mais vida, e trouxe uma relação muito interessante entre Arya e Lady Crane que traça um paralelo com Cersei, um dos nomes na lista de Arya. Mas nem isso é o suficiente para atenuar o fato de ela ter se curado tão rapidamente de ter sido esfaqueada na barriga. Tudo bem, estamos falando de uma realidade com dragões e zumbis de gelo. Mas isso não significa que não deva haver coerência.

01. Dorne

Pior arco da quinta temporada e possivelmente da série toda, Dorne foi um ‘sangramento’ estancado com rapidez no primeiro episódio da temporada. Mas, ao invés de melhorar a situação, serviu apenas para lembrar o quanto ninguém saído daquele núcleo conseguiu cativar a audiência. Talvez justamente porque ninguém foi apresentado propriamente, com uma história que os transforme em personagens tridimensionais.