Sucesso na frente das câmeras, Benedict Cumberbatch (Doutor Estranho, Sherlock) começa a arregaçar as manguinhas como produtor de cinema — movimento muito inteligente e essencial para os atores que buscam prêmios em Hollywood. E na Inglaterra, onde terá grande apelo em seu primeiro na produção de um longa-metragem: a adaptação do clássico britânico “Rogue Male”, de Geoffrey Household.

Capa do livro Rogue Male.
Publicado em 1939, “Rogue Male” é um thriller de sobrevivência sobre um homem que tenta assassinar um ditador e é pego, torturado e deixado à morte. O protagonista escapa e foge de volta pra Inglaterra, mas tem de se esconder em regiões rurais, dada a dura perseguição de agentes inimigos.
O livro foi adaptado cinco vezes, com destaque para duas realizações: Man Hunt, longa-metragem de 1941 dirigido pela lenda Fritz Lang e que explicita a inspiração de Household ao retratar o ditador como Adolf Hitler; e um telefilme de 1976 produzido pela BBC e estrelado por Peter O’Toole.

“Estou entusiasmado, como ator e produtor, por levar para as telonas esse grande tesouro da literatura inglesa”, declarou Cumberbatch, que assina a produção com Adam Ackland via SunnyMarch. Segundo o Hollywood Reporter, a autora da introdução do relançamento de 2007, Victoria Nelson, será coprodutora após anos tentando convencer Lloyd Levin (parceiro de Branwen Prestwood Smith e Beatriz Levin via Black Sheep Pictures) a produzir a adaptação.

Rogue Male terá roteiro de Michael Lesslie (Macbeth, Assassin’s Creed) e será distribuído pelo selo de filmes independentes Fox Searchlight.